Tabirense naturalizada Carnaibana será homenageada no Prêmio "Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco"

 Naturalizada Carnaibana Maria Agnalda de Souza Pereira, conhecida como Naldinha, de 41 anos, filha primogênita  de Reginaldo Antônio de Souza (Reginaldo Vaqueiro) e de Eva Terezinha Pereira de Souza, que nasceu em Tabira, será uma das 50 mulheres homenageadas na 15ª edição do Prêmio "Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco", que acontece neste sábado 25, no Auditório Tabocas, no Centro de Convenções, na Avenida Professor Andrade Bezerra, em Olinda.
 Agnalda, viveu sua infância na Fazenda São José em Carnaíba, pertencente ao saudoso Pedro Daniel até seus 10 anos de idade quando mudou-se para Carnaíba. Aos 17 foi estudar e trabalhar na vizinha cidade de Afogados da Ingazeira, onde formou-se no magistério.  
Em 2003, mudou-se para o Recife onde fez o curso de Psicologia, sonho criança. Fez pós graduação em Saúde Mental, álcool e outras drogas. Através dos resultados magnificos de seu trabalho na  área de Assistência Social, realizando acompanhamento com famílias de extrema vulnerabilidade, recebeu a indicação no ano passado para receber este ano o prêmio e participar do livro "Mulheres que Mudaram a História de Pernambuco". Para Agnalda, receber esse prêmio é uma grande honra.

Agnalda com a mãe Eva Terezinha e o pai Reginaldo Antônio
 -"A indicação foi através do reconhecimento do meu trabalho com familias em situação de extrema vulnerabilidade. Trabalho no CRAS- Centro de Referência a Assistência Social da Prefeitura do Paulista,  mas meu sonho sempre foi ser Psicóloga. Então em 2003 vim pra Recife estudar e trabalhar. Passei muitas dificuldades.  mas consegui me formar, fiz minha Pós Graduação em Saúde Saúde Mental , álcool e outras drogas na Universidade Católica de Pernambuco. Desde 2012 atuo na área. Mas a indicação foi por causa do meu Trabalho na Área Social, minha paixão", disse Agnalda ao Blog do Cauê Rodrigues.
Com a familia
O Livro “Mulheres que mudaram a história de Pernambuco” foi lançado em sua 13ª edição, mas agora na 15ª edição chegou a vez de uma sertaneja do Pajeú. 

O livro foi um projeto idealizado pelo jornalista Carlos Cavalcante (in memoriam) dando continuidade a esse projeto sua esposa Silene Floro diretora da Casa da Impressa e produtora cultural, ao lado do diretor jornalista Ramos Silva, realizaram essa bonita festa onde é um reconhecimento às mulheres que colaboram para o desenvolvimento econômico, político, cultural e social do Estado.
O projeto literário reúne biografias de 50 mulheres de todo Pernambuco que brilham em suas áreas de atuação, como médicas, escritoras, artistas, jornalistas, advogadas e servidoras públicas, entre outras.

Hoje, Agnalda reside na cidade de Paulista, região metropolitana do Recife e atua como Psicologa Educacional na Escola Menino Jesus, em Olinda, seu pai Reginaldo de Zé de Mané, do Prateado, mora atualmente em Afogados da Ingazeira e sua mãe Eva reside no Recife.
Agnalda no serviço Social em Paulista-PE
Agnalda com o avô José Alves que reside no Distrito de Fátima de Flores



Anterior Proxima Página inicial