Escola de Petrolina movimenta pré-adolescentes com o ‘Maio Branco’

 Cerca de 150 pré-adolescentes dos 6º anos do Ensino Fundamental de Petrolina, no sertão de Pernambuco, tiveram uma segunda-feira (13) bastante movimentada com o início do projeto ‘Maio Branco’. Os alunos com idades entre 10 e 12 anos do Plenus Colégio e Curso começaram o dia discutindo um tema pra lá de polêmico: o Bullying. Considerado um comportamento agressivo, um tipo de violência física ou psicológica, este fenômeno intimidador, repetitivo e intencional se apresenta de várias formas, seja através de agressão, discriminação, humilhação e até o ato de colocar apelidos de mau gosto no colega.
 
Bastante motivadas com o tema, as turmas da manhã e tarde puderam conferir, a cada início das atividades, a palestra ‘Bullying, seus tipos causos e consequências’, ministrada pelos psicólogos do Plenus. A conversa orientou sobre as formas e protagonistas do bullying, efeitos, mitos e verdades. Depois, todos se envolveram numa atividade prática para identificação dos personagens, ou seja, a vítima, o agressor e o espectador. Segundo o coordenador de Setor de Psicologia da escola, Bruno Ramos, é nesta atividade que os alunos podem reconhecer que o combate ao bullying é responsabilidade não só dos que participam diretamente do fenômeno. “Todos que veem, curtem, incentivam ou ignoram são também co-responsáveis pela ploriferação desta delicada situação”, ensina o psicólogo, acrescentando ainda que pesquisas do segmento apontam que é a partir da pré-adolescência que o bullying pode se intensificar com suas consequências.
 
Para a aluna Letícia Evangelista, a experiência foi muito gratificante e acrescentou informações interessantes que ela já vinha pesquisando com colegas. “Hoje estamos muito mais conscientes dos perigos do bullying e de quanto é danoso para todos nós. Achava que só tinha o agressor e a vítima, agora sei que quem assiste e não faz nada também é culpado”. O aluno Pedro Augusto também gostou dos ensinamentos e chamou atenção para o trabalho em grupo. “Respondendo as questões em equipe pudemos colocar em prática as informações dos psicólogos, as lições dos vídeos e que devemos ter cuidado no espaço virtual para não prejudicar as pessoas na hora de colocar um ‘like’ ou curtir uma foto”, exemplificou.
 
O ‘Maio Branco’ segue até o dia 31 com avaliação dos questionários, debate com alunos e professores e uma exposição artística. “A escola e a família devem agir juntas e eficientemente para identificar a existência e personagens do bullying; trabalhar o preconceito dos alunos; fortalecer a ideia de diálogo entre adultos e adolescentes; engajar os professores; envolver os pais na vida escolar e reconhecer o cyberbullying e seus efeitos”, concluiu o coordenador do Setor de Psicologia do Plenus.

Anterior Proxima Página inicial