Os presidente da Câmara e do Senado vão conduzir a tramitação da reforma da Previdência

 Amanda Almeida, Bruno Góes e Karla Gamba - O Globo
Pressionado por aliados em meio ao vácuo na articulação política , o governo decidiu na quarta-feira acelerar a liberação de emendas parlamentares e atender a indicações políticas para cargos do segundo e terceiro escalões.
O recado sobre a “ansiedade de parlamentares pela participação no governo” foi levado ao presidente Jair Bolsonaro pelos presidentes do Senado, Davi Alcolumbre(DEM-AP), e da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), em almoço com a participação do ministro Onyx Lorenrozi (Casa Civil) e do líder do governo na Câmara, Major Vitor Hugo (PSL-GO).
Os dois reforçaram que o DEM está disposto a liderar a articulação pela aprovação da reforma da Previdência, mas que o governo precisa dar A pressão funcionou, e o DEM saiu com mais capital político.

Anterior Proxima Página inicial