Mulher denuncia agressão policial após pedir ajuda a própria policia em Afogados da Ingazeira

 A Dona de Casa Edja Lúcia da Silva Brito, de 40 anos, moradora do Bairro Brotas, procurou a Redação do Blog do Cauê Rodrigues para denunciar ação de negligência policial e posteriormente agressões físicas e verbais por parte de Policiais que faziam a segurança durante o Afogareta na madrugada deste sábado 12, em Afogados da Ingazeira.

Segundo ela, acontecia uma confusão quando a mesma foi solicitar apoio da Policia, que argumentou que nada poderia fazer e que ela fosse na Delegacia de Policia Civil efetuar o Boletim de Ocorrência. Ao argumentar o motivo de seu pedido não ser atendido, o policiamento acabou algemando a dona de casa e levando-a para a DP, onde acabou sofrendo lesões. Edja estava acompanhada do marido que tentou intervir.

Ela ficou detida até as 04h00 da manhã e se revolta com a ação do policiamento a quem ela pedia socorro.

Ainda segundo ela, um PM masculino foi quem a abordou, algemou e a conduziu a viatura, enquanto PMs mulheres que estavam na Guarnição nada fizeram.

-“Fui agredida, tinha uns policiais  próximo do local da confusão, fui pedir ajuda e eles negaram mandando eu ir à Delegacia. No calor da raiva, eu perguntei o que eles estavam fazendo ali. Eles me empurraram, me algemaram e me prenderam. Me machucaram e o pior que foi um PM homem identificado como Luís Santos.

Pago impostos para ter meus direitos pois sou uma cidadã de bem. Não deixaram meu marido me acompanhar na viatura e ainda me colocaram na mala, bateram minha cabeça quando me colocavam na viatura. Me alterei porque fiquei revoltada, pois estava sendo agredida e fui pedir ajuda a quem poderia me socorrer, me acusam de desacato a autoridade". Descreveu ela.

Edja seguia ao lado da corda dando cobertura a um dos filhos que participava do Bloco Afogareta.

Diante da situação cobra resposta do Comandante do 23º Batalhão de Policia Militar de Pernambuco.


Anterior Proxima Página inicial