.

.

.

.

.

.

Presidente da Associação Nacional dos Ciclomotores convoca usuários de moto a votar em Armando Monteiro

 O candidato ao Governo do Estado da coligação Pernambuco Vai Mudar, Armando Monteiro (PTB), ganhou o apoio da representação nacional dos motociclistas. Nesta terça-feira (2), o presidente da Associação Nacional dos Usuários de Ciclomotores (ANUC), Léo Toscano, declarou apoio à candidatura de Armando. Em vídeo gravado para as redes sociais, o representante dos motociclistas confirma o sentimento já observado nas ruas, reforçando que a categoria está mobilizada para garantir a vitória de Armando Monteiro. Entre as propostas de governo do candidato está a isenção do IPVA das motos até 150 cilindradas, além de renegociar e parcelar as dívidas dos proprietários de motos, que de acordo com Toscano deve ser levada pela categoria como referência para outros Estados.

“Estamos esperançosos que Armando irá dar atenção aos milhares de motociclistas de motos, principalmente àqueles que dependem do transporte para trabalhar. Somos aproximadamente 400 mil pessoas em Pernambuco que utilizam as cinquentinhas e as motos de até 150 cilindradas como ferramenta de trabalho e de geração de renda”, declarou o presidente da ANUC. “Não só os trabalhadores, mas como todas as famílias dependem dos rendimentos provenientes das atividades dos homens e mulheres que utilizam as motos. A proposta de Armando Monteiro de zerar o IPVA e também renegociar e parcelar as dívidas vem em boa hora para aliviar as finanças e também alavancar a economia, especialmente nos municípios do interior”, disse, destacando ainda que além de moto-taxistas e moto-fretistas, a medida beneficia também o profissional liberal que usa a moto para se deslocar mais rápido e atender seus clientes.

Léo Toscano está à frente da Associação Nacional dos Usuários de Ciclomotores (ANUC) há sete anos. Só de ciclomotores, o Estado possui mais de 37 mil veículos cadastrados junto ao Departamento de Trânsito de Pernambuco (Detran-PE). Já a frota total de motos emplacadas ultrapassa mais de 1,1 milhão de unidades. Segundo levantamento, as dívidas de motociclistas das diversas cilindradas que não tiveram condições de pagar os encargos do governo soma algo em torno de R$ 10 milhões. Até 2015, as cinquentinhas eram isentas de pagar IPVA, mas, com após a regulamentação do emplacamento, o Governo passou a cobrar o IPVA desses veículos, após lançar um pacote de aumento de impostos estaduais.   

Anterior Proxima Página inicial