.

.

.

.

.

.

O 2º turno e Haddad: família e religiosidade

 Nasce o bom menino -  Confirmado o cenário apontado no novo DatafolhaFernando Haddad (PT) vai exibir figurino diferente para enfrentar Jair Bolsonaro (PSL) e a torrente de boatos sobre seus costumes no segundo turno. O PT vai explorar mais a ligação dele com a família e com a religiosidade. O candidato será apresentado como homem de fé, marido e pai cioso, reverente aos patriarcas, como o avô Cury Habib Haddad, sacerdote da Igreja Ortodoxa cuja foto o petista carrega dentro da carteira.
Haddad deu uma amostra grátis dessa persona nas considerações finais do debate da Globo. Enalteceu seu casamento de três décadas e citou o pai como uma de suas inspirações.
A exposição da vida privada do candidato faz parte da estratégia que visa neutralizar notícias falsas que se alastraram na reta final do primeiro turno. Como o Painel publicou na sexta (5), ele fará um apelo à união em torno de seu nome assim que sair o resultado da votação deste domingo (7).

Anterior Proxima Página inicial