Adoradores do Bozo e a AUTOVERDADE

 Por: Aldo Ribeiro
AUTOVERDADE. É mais ou menos assim. Tudo que você escuta, por mais que seja absurdo, incoerente e irracional, irá prevalecer o que você pensa independentemente de estar certo ou não. O que você compartilha, por mais questionável que seja, é o que você acredita. Você não vai se preocupar em fazer uma breve pesquisa pra constatar se aquilo que compartilha, procede. Sua esponja, encharcada de informações verdadeiras e falsas, processará somente o que lhe convém, a sua verdade.
Bolsonaro conseguiu. Fez com que em momento algum houvesse um debate sério sobre os problemas que afligem nosso país. O debate raso, limitou-se a “memes”, foto-montagens engraçadas e uma chuva de notícias falsas, o chamado Fake News. Pronto. Estava armado o circo e o cerco. Some-se à isso, algumas de suas absurdas declarações:
– “O erro da ditadura foi torturar e não matar” (entrevista à rádio Jovem Pan, junho de 2016).
– Na sessão da Câmara de abril de 2016, quando votou a favor do impeachment da presidente Dilma Rousseff, Bolsonaro dedicou seu voto ao coronel Brilhante Ustra, que na ditadura militar chefiou o DOI-Codi (serviços de inteligência e de repressão, acusado de cometer pelo menos seis assassinatos sob tortura). “Pela memória do coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, o pavor de Dilma Rousseff”, disse Bolsonaro.
– Vamos fuzilar a petralhada aqui do Acre”, disse em comício no dia 1º de setembro em Rio Branco. Logo depois, sua assessoria declarou que “foi uma brincadeira, como sempre”.
– “Deus acima de tudo. Não tem essa historinha de Estado laico não. O Estado é cristão e a minoria que for contra, que se mude. As minorias têm que se curvar para as maiorias” (encontro na Paraíba, fevereiro de 2017).
– “Eu fui num quilombo em Eldorado Paulista. Olha, o afrodescendente mais leve lá pesava sete arrobas. Não fazem nada! Eu acho que nem para procriador ele serve mais. Mais de R$ 1 bilhão por ano é gasto com eles” (Em palestra no Clube Hebraica, abril de 2017).
– “Eu tenho pena do empresário no Brasil, porque é uma desgraça você ser patrão no nosso país, com tantos direitos trabalhistas. Entre um homem e uma mulher jovem, o que o empresário pensa? “Poxa, essa mulher tá com aliança no dedo, daqui a pouco engravida, seis meses de licença-maternidade…” Bonito pra c…, pra c…! Quem que vai pagar a conta? O empregador. No final, ele abate no INSS, mas quebrou o ritmo de trabalho. Quando ela voltar, vai ter mais um mês de férias, ou seja, ela trabalhou cinco meses em um ano” (entrevista ao Zero Hora, em dezembro de 2014).
Diante desse cenário de caos, acabou-se o debate porque na verdade nem houve debate. Perdemos nosso precioso tempo tentando explicar o absurdo das declarações do Messias, e que por isso não haveria chance alguma de votar nesse cidadão. Jornais sérios de todo o mundo, temem pela sua eleição. Até, vejam só, direitistas e ultradireitistas europeus, criticam suas declarações.
Enquanto o Messias vai conseguindo tirar o foco da fragilidade da sua candidatura, do ponto de vista de propostas concretas, claras e objetivas, ele gradativamente vai sinalizando o que nos espera.
Tem como possível Ministro da Economia, um tal de Paulo Guedes, o Posto Ipiranga. Um ultraliberal. Joga no ar possíveis medidas, pra que quando recebermos a pancada, não seja tão dolorida assim. Mas será. Direitos Trabalhistas, como férias e décimo (não é clausula pétrea na CF), privatização das escolas públicas, conforme falou em vídeo um de seus filhos deputado, entre outras medidas no pacote de maldades.
Grita pra todo mundo ouvir: “Brasil acima de tudo”, pra passar a impressão de nacionalista e defensor das nossas riquezas, mas bate continência pra os EUA. Já declarou que irá privatizar várias de nossas empresas, patrimônio do povo brasileiro. Isso é ser nacionalista? Percebem as contradições do discurso?
Mas a letargia coletiva maior, é com relação a corrupção e a ética. Numa dessas declarações acaloradas do Messias, o mesmo falou em alto e bom som, sobre o fato de o mesmo ter recebido 200 mil reais da JBS direto na sua conta. “Qual partido não recebe propina?” O Messias devolveu o dinheiro pra o partido, olha só, não devolveu pra JBS, que seria o natural. E sabe o que o partido fez? Depositou de volta os 200 mil reais na conta do Messias. Se isso não é lavagem de dinheiro, é o que? Afora isso, tem um outro vídeo (é verdade esse bilete!), em que um de seus seguidores lhe perguntou se ele iria abrir mão de seus privilégios de deputado, cerca de !!90 mil!! reais por mês só de verba de gabinete. Na contramão da história, ele foi veemente e taxativo, dizendo que não abriria de forma alguma dos seus privilégios. Ora, num país onde um pai de família assalariado, vive com menos de mil reais por mês, não seria de bom tom o Messias ter a hombridade e a tal da ÉTICA, pra lutar pelo fim dos privilégios dos políticos? É aquela história, “no c* dos outros é refresco”.
O Messias, ameaçou de morte sua ex-mulher em 2011. Aliás, o Messias, já está no 3°casamento. Mas ele não defende a família brasileira? O Messias, falou pra uma deputada que não a estupraria porque ela não merecia (por ser feia). O Messias, falou que deu uma fraquejada, quando nasceu sua filha. O Messias agora, diz que vai dar continuidade ao bolsa família, e ainda com 13°. Ué, mas ele não era contrário à esse absurdo do bolsa esmola? Percebam o monte de fios soltos de suas declarações.
E por fim, o Messias disseminou o ódio e a intolerância pelo país. Pessoas estão se agredindo, matando e morrendo. Mais sangue será derramado. O Messias fez aflorar a sementinha do facismo em boa parte da população.
Sei que existem pessoas de bem, e eu conheço muitas, que votam no Messias por indignação, pela decepção com o que o PT se misturou e se lambuzou nessa ciranda generalizada da corrupção. Não votei no PT no 1° turno, e também não votaria no 2° turno, não fosse as circunstâncias em que nos colocamos. Faltou ao PT uma AUTOCRÍTICA, coisa que não tiveram coragem de fazer. Mas nada justifica você avalizar a barbárie e o desrespeito, por aversão à um partido ou político. Corrupção a gente combate com o fortalecimento das instituições e com a democracia. E querendo ou não, de um jeito ainda meio torto, políticos e bandidos do colarinho branco estão indo pra cadeia.
Combater o facismo é que é o difícil, simplesmente porque eles não te darão o direito a ter voz. O General Mourão já deu vários indicativos do que pensa. AUTOGOLPE. Por que o facismo é uma doença que desperta das profundezas do ser humano, o que há de pior: a irracionalidade e a incapacidade de aceitar os diferentes.
Os sinais estão aí pra todo mundo ver, mas a tal da AUTOVERDADE veda os olhos dos que insistem em se enganar com esse falso profeta que se apresenta como salvador da pátria.
Não serei cúmplice do ódio. Voto pela democracia.

Anterior Proxima Página inicial