Tributo no Recife marca 30 anos da morte de Luiz Gonzaga

 Para marcar os 30 anos da morte do cantor pernambucano Luiz Gonzaga, o Recife recebe uma programação gratuita nesta sexta-feira (2). A partir das 18h, o grupo Quinteto Violado comanda um tributo no Centro Cultural Cais do Sertão, no Centro da cidade. O Rei do Baião morreu na capital pernambucana no dia 2 de agosto de 1989. 

Joquinha Gonzaga, Terezinha do Acordeon, Bia Marinho e um coral com 100 crianças cantando os sucessos de Gonzagão são outras atrações do projeto Tengo Lengo Tengo. O tributo começa com um depoimento de Luiz Gonzaga sobre o Quinteto Violado, grupo formado em 1970 e que tem, desde o início, forte ligação com o Rei do Baião.

A apresentação da canção "Hora do Adeus", sobre a partida de Luiz Gonzaga, marca o início da programação musical do evento. O repertório segue com clássicos como "A volta da Asa Branca", "Sala de reboco", "É proibido cochilar", "Xote das meninas", "Pisa na fulô" e "Sabiá".

Também estão previstas marchinhas de quadrilha, como "Olha pro céu", "São João na roça" e "Fogueira de São João", com participação dos sanfoneiros Leozinho de Bonito e Damaris Referino.

Com arranjos do Quinteto Violado e sob regência do maestro Fernando Furtado, um coral infantil apresenta a música "Asa Branca", encerrando o evento.

Memorial
No Pátio de São Pedro, no Centro do Recife, fica o Memorial Luiz Gonzaga, que reúne discos, instrumentos, livros, fotos, entre outros materiais sobre o Rei do Baião. A visitação é gratuita e ocorre de segunda a sexta, das 9h às 17h.

"A obra do Luiz Gonzaga é gigantesca. Foram mais de 100 discos lançados e 70 LPs. A exposição é montada a partir do acervo de um fã. A ideia é trazer um pouquinho do ambiente do Sertão, esse contexto sociocultural que permeia a obra dele", afirma o coordenador do Memorial, Marcos Leite.

Anterior Proxima Página inicial