Fiéis têm relação de intimidade e de fé com Nossa Senhora Rainha dos Anjos, padroeira de Petrolina

 Nesta quinta-feira (15) é celebrado o dia de Nossa Senhora Rainha dos Anjos, padroeira da cidade de Petrolina, no Sertão de Pernambuco. Há mais de 150 anos, a imagem original da santa veio de Santa Maria da Boa Vista para Petrolina e nunca mais retornou. Em Petrolina, muitos fiéis têm uma relação de intimidade e de fé.

Muitos jovens do grupo Escalada de Petrolina são devotos de Nossa Senhora Rainha dos Anjos. Desde pequena, a coordenadora da pastoral de comunicação, Vitória Oliveira, participa dos festejos dedicados à santa na cidade. "É impossível você ser católico e você não ter uma proximidade com Nossa Senhora, principalmente quando você é de Petrolina, você não ter uma proximidade com a Nossa Senhora Rainha dos Anjos, já que ela é a padroeira da cidade. Desde pequena, a minha mãe me trazia as procissões do dia 15. Então eu sempre tive isso, todo dia 15 de agosto ir a procissão, então, desde pequena, eu tenho essa relação com nossa senhora".

A vice-coordenadora da pastoral da liturgia, Gabriela Matias, também possui uma relação de muita proximidade com a santa. Nas mãos, a jovem não larga por nada o terço. "Sempre foi uma relação muito próxima de mãe, essa pessoa que eu posso contar sempre. No caso, Nossa Senhora realmente é minha mãe, porque eu sei que ela que vai me ajudar e através dela que eu posso ficar mais próximo de cristo. É com ela, que eu vou conseguir vencer as batalhas diárias".

O pároco de Nossa Senhora das Dores, Padre Francisco José Cavalcante, diz que na época em que a imagem veio para Petrolina houve uma grande discussão política na Câmara Provincial dos Deputados de Pernambuco em torno do seu retorno para Santa Maria da Boa Vista. "Ela foi transferida, foi trazida de Santa Maria da Boa Vista pra cá durante uma missão que pode ter sido a missão de 1949, veio pra essa missão e passou um certo tempo aqui e o pessoal de Santa Maria da Boa Vista desejou a imagem de volta e conta-se que o pessoal de Petrolina, se armou, se certo modo, para não deixar a imagem voltar".

"Havia um projeto de Lei em 1937 e em 1959 para que o termo de Santa Maria pudesse ser transferido para Petrolina, mas alegava-se que Petrolina tinha poucas casas cobertas de telha. Eram 20 povoações, duas apenas cobertas de telha e o resto de palha, não tinha ainda estrutura para ser paróquia. Durante esse conflito, o bispo providenciou o código de instauração dessa paróquia e terminou a nossa senhora rainha dos anjos ficando aqui", explicou o professor de história, Moisés Almeida.

Em 1974, o furto da imagem de Nossa Senhora Rainha dos Anjos da Igreja Matriz tirou a paz dos devotos petrolinenses. Durante anos, houve várias tentativas para encontrar a santa. Em 1980, a imagem de nossa senhora retornou à Petrolina. A estátua foi localizada no estado de Alagoas, com um colecionador da arte brasileira. Atualmente, existem três imagens de Nossa Senhora Rainha dos Anjos: essa original, com traços barrocos, e outras duas réplicas.

O diácono da diocese de Petrolina, Leonardo Souza, está se preparando para se tornar padre. São quase nove anos estudando para complementar a formação. Para ele, Nossa Senhora Rainha dos Anjos tem um significado fundamental para sua formação. "Está neste ambiente perto dessa igreja é recordar um olhar histórico e ao mesmo tempo espiritual pelo qual se foi construindo toda a história da diocese de Petrolina".

Anterior Proxima Página inicial