Ação da OAB contra Bolsonaro

 Mônica Bergamo - Folha de S.Paulo
A Comissão Arns entrará como amicus curiae (interessada na causa) na ação em que o presidente da OAB, Felipe Santa Cruz, afirma que Jair Bolsonaro cometeu crime de calúnia contra a memória do pai dele, Fernando Santa Cruz.
Bolsonaro afirmou que sabe como Fernando Santa Cruz, que é desaparecido político, morreu: assassinado por militantes de esquerda. A afirmação contraria documentos oficiais do próprio governo.
A entidade é integrada, entre outros, pelos ex-ministros José Carlos Dias e José Gregori, pelo economista e também ex-ministro Luiz Carlos Bresser-Pereira, pelos advogados Antonio Claudio Mariz de Oliveira e Fábio Konder Comparato e pelas cientistas políticas Maria Hermínia Tavares de Almeida e Maria Victoria Benevides. Bolsonaro foi interpelado na quinta (1º) para esclarecer, em 15 dias, as declarações sobre Santos Cruz.
E os ataques se estenderam a uma das filhas do presidente da OAB. Duda Santa Cruz, de 13 anos, é atriz —ela está em cartaz em “Elis, o musical”, em que interpreta a cantora quando adolescente.  Duda foi apontada, nas redes sociais, como beneficiária de R$ 790 mil, por meio da Lei Rouanet, para fazer uma peça infantil.
Santa Cruz diz que o projeto foi autorizado a captar recursos mas que, por decisão tomada no fim do ano passado, nem mesmo R$ 1 foi arrecadado até agora. Nem será.

Anterior Proxima Página inicial