Pernambuco registra primeira morte por dengue em 2019

 Pernambuco registrou a primeira morte por dengue em 2019. A vítima foi uma adolescente de 12 anos que morava no bairro de Água Fria, na Zona Norte do Recife, e morreu devido à doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti no dia 28 de abril, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

Sobe mais de 100% número de notificações de arboviroses
A morte da jovem ocorreu em um hospital particular na capital pernambucana, onde estava internada com dengue tipo 1. A adolescente começou a apresentar febre, vômitos e manchas vermelhas pelo corpo no dia 24 de abril, de acordo com a prefeitura do Recife.

No primeiro semestre de 2019, o Recife teve um aumento de 14% das notificações de dengue e uma diminuição de 24,6% dos casos confirmados da doença em comparação ao mesmo período de 2018.

“A secretaria reforça o pedido para que a população adote as medidas de prevenção e controle do Aedes aegypti, assim como pede que mantenham as portas de suas casas abertas para os agentes de saúde ambiental e controle de endemias”, afirma a prefeitura em nota.

Controle do mosquito
Entre as estratégias adotadas no Recife para controle do mosquito Aedes aegypti, está a utilização das estações disseminadoras de larvicidas desenvolvida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) Amazônia. Elas são armadilhas em que os próprios mosquitos espalham o larvicida nos criadouros.

Ainda segundo a prefeitura, outras ações desenvolvidas na cidade são as cerca de três mil ovitrampas instaladas em 50 bairros; e as brigadas contra o Aedes aegypti, que treinam os moradores para engajá-los na identificação e eliminação de focos.

Existe, ainda, o Centro de Mosquitos Estéreis, que busca conter a reprodução do mosquito transmissor da dengue esterilizando os machos e liberando-os no meio ambiente.

Arboviroses no estado
O número de casos suspeitos de arboviroses aumentou mais de 100% no estado no primeiro semestre de 2019, em comparação com o mesmo período de 2018.

A quantidade de notificações de zika subiu 197,8%, os registros de dengue cresceram 123,1% e os de chikungunya aumentaram 115,9%, segundo boletim divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde na quarta-feira (3).

Os dados registrados se referem ao período entre os dias 30 de dezembro de 2018 e 29 de junho de 2019. Ainda segundo o documento, foram notificadas em Pernambuco 56 mortes por arboviroses nos seis primeiros meses de 2019. No mesmo período do ano passado, houve registro de 52 óbitos, o que equivale a um aumento de 7,6%.

No primeiro semestre de 2019, foram registrados 32.952 casos suspeitos de dengue. No mesmo período no ano passado, o governo notificou 14.771 ocorrências.

A quantidade de casos de dengue confirmados chegou a 6.901 neste ano e foram descartadas 7.452 suspeitas. A secretaria também não repassou dados sobre as confirmações do mesmo período do ano passado.

Com relação à zika, houve registro de 2.195 casos suspeitos, sendo 43 confirmados e 1.118 notificações descartadas, no primeiro semestre de 2019. No comparativo com 2018, foram 737 registros da doença. Os dados sobre as confirmações de zika nos seis primeiros meses de 2019 não foram divulgados pela secretaria.

As notificações de chikungunya, segundo o boletim, chegaram a 4.407 nos seis primeiros meses de 2019, quando foram confirmados 191 casos e descartados 2.089. Em igual período no ano passado, a secretaria notificou 2.041 suspeitas. Os dados sobre confirmações da doença em 2018 não foram disponibilizados pelo governo estadual.

Anterior Proxima Página inicial