Filme de Frei Damião - O Santo do Nordeste será exibido em première na abertura da 23ª edição do Cine PE

 Considerado Hors Concours pela curadoria do Cine PE, filme tem direção da cineasta pernambucana Deby Brennand e resgata a história do capuchinho Frei Damião de Bozzano. Lançamento será no dia 29 de julho, no Cinema São Luiz, na abertura do Cine PE.

A história do capuchinho que evangelizou o Nordeste brasileiro e que agora é venerável virou documentário. A première do longa Frei Damião - O Santo do Nordeste, intitulado Hors Concours, acontecerá no dia 29 de julho, na abertura do festival Cine PE, no Cinema São Luiz, no Recife. O filme foi produzido pela Fábrica Estúdios, com roteiro de Nadezhda Bezerra e direção da cineasta pernambucana Deby Brennand. O documentário, que contou com o incentivo da Ancine, teve patrocínio do Café Santa Clara, da Petrovia, da CHESF, do BNB, da Kicaldo,da Atiaia Energia e da Loja do Condomínio.

A narrativa do filme segue uma linha cronológica e biográfica dos 98 anos de vida do Frei Damião. Por isso, remonta sua história, a partir da ficção, mesclando imagens inéditas captadas pelos cineastas Otacílio Cartaxo e Machado Bitencourt, já falecidos, da década de 60, e filmagens gravadas em fitas VHS durante os anos 70 até a morte do Frei, em 1997, que foram guardadas no Convento de São Félix, no Pina, Recife. 

“A Fábrica Estúdios estava desenvolvendo a série Caçadores de Milagres e um dos episódios era sobre um milagre de Frei Damião. Foi aí que a gente percebeu que precisava descobrir mais sobre isso”, conta Pablo Lopes, produtor e produtor executivo do longa. Ele entrou em contato com Jairo Chaves, também produtor executivo do filme, que já tinha contato com os capuchinhos, e, juntos, foram até o Convento de São Félix, uma das bases capuchinhas no Recife. Aos poucos, Pablo passou a conhecer mais a história - e as pessoas que representavam a imagem de Frei Damião. 

Com a visita ao convento e a descoberta das filmagens em VHS, a produtora audiovisual, ao digitalizar o material, percebeu o valor do personagem e da sua história, e, assim, ficou interessada em produzir o filme. A criação do roteiro e captação de recursos para o longa começou no final de 2016, finalizando, com a pós-produção, em 2018.

As gravações começaram na Itália, em março de 2018, onde Frei Damião passou sua infância e adolescência. Como relatam os familiares e biógrafos, ele recebeu um chamado de Deus, quando ainda era Pio Gianotti, aos 13 anos. No dia da sua primeira comunhão, ele sumiu e foi encontrado no sótão de casa, rezando, em transe. A partir deste acontecimento, sua vida mudou. Ele deixou de ser um simples garoto para se tornar o Frei Damião. Como os capuchinhos, que iam para lugares muito precários para catequizar, ele decidiu ir ao Brasil, largando tudo. Desde o dia em que desembarcou no país, em 1930, até o dia em que faleceu, não interrompeu suas santas missões, que tinham como objetivo proclamar a palavra de Deus, voltando poucas vezes à Itália.

Foi ao Nordeste que o religioso dedicou a sua vida. Durante 66 anos, percorreu estados como Pernambuco, Paraíba, Alagoas, Bahia e Ceará nas Santas Missões. Como passou boa parte de sua vida nessa região, diversas cenas da película foram captadas em estados como Pernambuco, Rio Grande do Norte e Paraíba, que, na pesquisa de pré-produção do filme, foram apontados como pontos em que o religioso marcou diversos fiéis com sua devoção, sensibilidade e fé.

Na zona rural de Pernambuco, uma dos episódios impactantes foi em relação à sensitividade do frei. “Ele é famoso por ser sensitivo, então, ele previa as coisas. No filme, a gente recria um milagre a partir de uma entrevista a uma testemunha que estava com ele durante o acontecimento”, conta Pablo Lopes. Segundo o depoimento, o religioso afirmou que pessoas iriam aparecer querendo falar com ele na estrada, e ninguém acreditou. Horas depois, surgiram dois homens pedindo ajuda para um parto, que, segundo o frei, foi realizado pelas mãos de Maria, a mãe de Jesus.

A pé, a cavalo ou de carro, Frei Damião andou mais de um milhão de quilômetros. Não é à toa que ele ficou conhecido como mensageiro de Deus. “Ele levava não somente a palavra de Deus, mas representava também um grito pelos excluídos, pelos nordestinos e pela condição de pobreza que encontrava em suas andanças”, ressaltou Jairo Chaves, produtor executivo do filme.

O objetivo do longa, através das imagens inéditas, entrevistas, depoimentos, testemunhos de milagres e reinterpretação de acontecimentos, mostrar um ser humano que está acima da religião. Frei Damião ia além. Para Jairo Chaves, o capuchinho não se limita a um ícone religioso, apesar de ter sido um dos maiores missionários que percorreram o Brasil. “Ele é um ícone da cultura nordestina, dos nosso valores”. Pablo Lopes compartilha da mesma visão. “O filme é sobre uma pessoa, que é muito forte dentro de uma religião, mas que é algo muito mais de fé, sensação e sensibilidade”, comenta. O documentário não foca apenas nos seus adoradores, mas se preocupa em mostrar o legado do capuchinho também para aqueles que não o conhecem e desejam entender o significado dele para uma legião de fiéis.

Cine PE 

Para Pablo Lopes, produtor executivo do longa, é uma honra que a première do documentário ocorra em um festival como o Cine PE. Segundo ele, o evento é uma jóia dos festivais brasileiros e é conhecido por ter um dos maiores públicos de festival do Brasil. Além disso, o São Luiz trata-se de um cinema histórico, em um local clássico da cidade, no bairro da Boa Vista.

“Quando a gente inscreveu o filme, lá atrás, a gente estava com uma super expectativa. Como em qualquer instituição de festival que você participa, pode acontecer de você simplesmente não ser selecionado. Quando a gente teve a notícia que fomos selecionados para Hors Concours, foi muito especial”, comenta Pablo Lopes, produtor do documentário. 

O local da première do filme Frei Damião - O Santo do Nordeste não poderia ser diferente. Toda a história do capuchinho está atrelada ao Nordeste, como sugere o título do longa, principalmente o Recife, onde fica o Convento de São Félix, no Pina, e a Basílica da Penha, em Santo Antônio, bases capuchinhas. O evento vai reunir boa parte da equipe que participou da produção, no Recife, como forma de confraternização entre todos os envolvidos no projeto. Pessoas importantes, como o médico que cuidou do frei até seu falecimento, poderão estar presentes na abertura do festival. “Aqui é o lugar que a gente pode convidar pessoalmente e levar todas essas pessoas para o cinema”, diz Pablo.

Beatificação e canonização

O processo de beatificação e canonização do Frei Damião foi aberto em 2003. No último mês de abril, uma decisão do Papa Francisco deixou o Frei Damião mais perto da beatificação.  Um decreto do sumo pontífice, editado no Vaticano, reconheceu como venerável o frade capuchinho, que nasceu na Itália e morreu no Recife. Para que ele seja declarado beato, falta a comprovação de um milagre.

Apesar de Frei Damião não ser oficialmente santo, o sentimento dos fiéis é diferente. Estima-se que o capuchinho seja autor de mais de 30 mil milagres ao longo de sua vida. “Para os fiéis, ele é um santo. É aquele homem de Deus por meio de quem as pessoas recebem Graças, lembram dos conselhos e orientações. Muita gente ainda pauta a vida e o dia a dia lembrando dos ensinamentos dele”, comentou Frei Jociel Santos, postulador da causa de beatificação e canonização do frei.

Na visão pessoal do Frei Jociel, que também foi consultor de conteúdo da produção audiovisual, Frei Damião foi alguém que dedicou praticamente sua vida inteira a um ideal. No caso do capuchinho, um ideal religioso, de vida consagrada, de evangelização e pregação da palavra de Deus. “Ele enfrentou todas as dificuldades e desafios, nunca desistia. Perseverou até o fim no que acreditava”.

Sobre a Fábrica Estúdios

Com vinte anos de mercado, a Fábrica Estúdios, responsável pelo longa Frei Damião - O Santo do Nordeste, começou como um estúdio de música, passando a ser uma produtora audiovisual em 2008. A empresa já produziu dezenas de DVDs, videoclipes, making ofs de gravações, especiais para TV, séries de documentários e programas de TV exibidos em canais como Globo Nordeste, Arte 1, Canal Brasil e TV Pernambuco. 

A produtora também tem histórico em transmissões ao vivo para TV e internet de eventos tão variados quanto shows, leilões, eventos corporativos e até jogos da Copa das Confederações. Além de uma rica história intimamente ligada ao cinema pernambucano e nacional, com diversas co-produções, gravações de trilhas sonoras, edição e mixagem de filmes emblemáticos e premiados. A Fábrica, que tem sede no bairro da Várzea, na Zona Oeste do Recife, é uma fornecedora de soluções completas em audiovisual, desde a concepção do projeto até a grande estreia nos cinemas ou na TV.

Ficha técnica do documentário Frei Damião - O Santo do Nordeste
Direção - Deby Brennand
Consultoria de Conteúdo - Frei Jociel Gomes
Roteiro - Nadezhda Bezerra
Produção - Gerardo Lopes e Pablo Lopes
Produção Associada - Fátima Cartaxo e Otacílio Cartaxo (in memoriam)
Produção Executiva - Gerardo Lopes, Jairo Chaves e Pablo Lopes
Direção de Produção - Mariana Jacob
Direção de Fotografia - Breno César
Edição de Som e Mixagem - Paulo Umbelino e Pablo Lopes
Montagem - Rodrigo Guilherme
Direção de Arte - Denis Netto
Trilha Sonora Original - Piero Bianchi

Anterior Proxima Página inicial