Homem da Meia-Noite exalta a força do povo e pede paz em Olinda

 Samba e frevo se misturaram para exaltar a força do povo e pedir paz no desfile Homem da Meia-Noite pelas ladeiras de Olinda, na madrugada deste sábado (2) para domingo (3). O gigante mais amado do carnaval trouxe como tema, neste ano, as ‘Vozes do Morro’ e se uniu à bateria do Patusco. (Veja vídeo acima)

GALERIA: Homem da Meia-Noite arrasta multidão
Foi com grande comoção popular que ele deixou a sede da agremiação, na Estrada do Bonsucesso, com chuva de papel picado e fogos. Neste ano, o calunga veio trazendo os pedidos das comunidades do Grande Recife no figurino: liberdade, dignidade, igualdade, educação e saúde. A Constituição de 1988 também foi homenageada com um bordado nas costas do fraque.
 A cartola, usualmente preta, assumiu a cor branca em um pedido de paz e veio com uma mensagem: “Juntxs podemos”, representando a igualdade de gênero. A última vez que o gigante usou uma cartola branca foi em 1987. O botão, também branco, tinha ‘Paz’ escrito.

As três estilistas visitaram comunidades do Grande Recife para que a roupa refletisse os anseios do povo. Elas explicaram que buscaram mostrar que, assim como o Homem da Meia-Noite, a população é um gigante e, o que ela quiser, ela pode fazer.
Bordado nas costas do figurino do Homem da Meia-Noite exalta a Constituição de 1988.
 O tradicional fraque veio de verde e branco, mas com traços de azul, lembrando que o calunga é filho de Iemanjá. “É um fidalgo fino e elegante. Esse ano, ele vem com muita força social. Ele, realmente, é a voz do povo”, disse Lucas dos Prazeres, um dos homenageados do Homem da Meia-Noite.

Durante o desfile, o Homem da Meia-Noite para e cumprimenta os foliões, com uma atenção especial às folionas, apaixonadas por ele. A Mulher do Dia também marcou presença, seguindo com o "marido" pelas ladeiras do Sítio Histórico.
 Homem da Meia-Noite e Mulher do Dia se encontram em Olinda
Homenagens
O presidente do Homem da Meia-Noite, Luiz Adolpho, recebeu o prêmio Gigante Cultural, antes da saída do calunga, pelo trabalho feito ao longo dos últimos anos.

“É muita emoção, são 17 anos dedicados à história do meu pai. Quem me conhece, sabe que me sinto perto dele aqui. É momento de muito orgulho”, contou o presidente, que foi pego de surpresa pela homenagem.
Patrimônio Vivo de Pernambuco, a cirandeira Lia de Itamaracá é uma das vozes das comunidades que recebe homenagem do Homem da Meia-Noite neste ano. Emocionada, ela ficou junto do gigante. Além dela e de Lucas dos Prazeres, o Patusco foi homenageado.

Com o tema deste ano, explica o presidente Luiz Adolpho, a agremiação buscou ser porta voz do povo do morro, da alegria, diversidade e cultura presente nessas áreas, que são casa de mais de um terço da população da Região Metropolitana do Recife.

Anterior Proxima Página inicial