Jornalista Ricardo Boechat morre em queda de helicóptero em SP

Morreu nesta segunda-feira (11) o jornalista Ricardo Boechat, aos 66 anos. Ele estava a bordo do helicóptero que caiu no final desta manhã em um dos acessos da Rodovia Anhanguera, em São Paulo, abaixo do km 7 do viaduto do Rodoanel. A informação foi confirmada em um comunicado ao vivo feito pelo jornalista José Luiz Datena, na TV Bandeirantes.
"Jamais achei que daria esta notícia...É um momento muito triste para o grupo Bandeirantes", disse Datena, visivelmente emocionado. "Cabe a mim informar vocês que o jornalista, pai de família e companheiro morreu hoje em um acidente de helicóptero, aqui em São Paulo. Ele foi a Campinas para uma palestra e não chegou ao seu destino, que era o heliponto da Band. Caiu no Rodoanel".
Além de Boechat, o piloto, Ronaldo Quattrucci., também faleceu na queda. Inicialmente os bombeiros informaram que as vítimas seriam o piloto e o copiloto. Os corpos das vítimas, que foram carbonizadas, já foram levados ao IML.
Após a queda, a aeronave, um modelo Bell 206B, prefixo PT-HPG, foi atingida por um caminhão que seguia pela via. O motorista foi resgatado com escoriações leves e não precisou ser levado ao hospital. De acordo com as informações, ele seguiu direto para a delegacia, onde presta depoimento e dar sua versão sobre o acidente. 
Em nota, o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) informou que iniciou as investigações sobre o acidente, mas não citou data para concluir ou divulgar as primeiras informações sobre as causas. "A Ação Inicial é o começo do processo de investigação e possui o objetivo de coletar dados: fotografar cenas, retirar partes da aeronave para análise, reunir documentos e ouvir relatos de pessoas que possam ter observado a sequência de eventos", diz o comunicado.
Jornalista ganhador de três prêmios Esso
Mais conhecido pelas manhãs no rádio e as noites na bancada do Jornal da Band, Ricardo Boechat foi um dos principais nomes do jornalismo brasileiro e chegou a ganhar três vezes o Prêmio Esso - um dos mais importantes do jornalismo do País.
Boechat iniciou sua carreira na década de 1970 em jornais como “O Globo”, “O Estado de S. Paulo”, “Jornal do Brasil” e “O Dia”. Em 1990, ele passou a ter uma coluna diária no “Bom Dia Brasil”, na TV Globo.
Ele deixou seis filhos, incluindo duas meninas pequenas, e a esposa, a jornalista Veruska Seibel Boechat - a quem se referia carinhosamente como Doce Veruska. 
Vídeos registraram os destroços do helicóptero em chamas.
Anterior Proxima Página inicial