Afogados: Criança de 8 anos com Autismo precisa de ajuda para cuidar de saúde no interior de São Paulo

 O casal de agricultores Maria de Lourdes Severo da Silva, de 31 anos e José Paulo da Silva, de 36 anos, moradores do Bairro São Brás, em Afogados da Ingazeira, no interior de Pernambuco, lutam para conseguir ajuda financeira para cuidar da saúde do filho Lucas Kauê Severo da Silva, de apenas 08 anos de vida, portador de Autismo.

Eles lutam para conseguir o complemento das passagens de ônibus para a cidade de Taquaritinga, no interior de São Paulo onde existe uma unidade da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais - APAE. Sem recursos, o casal apela a sociedade Afogadense e do Pajeú pela ajuda.

Em contato com o Blog do Cauê Rodrigues, dona Maria de Lourdes detalhou a história de Lucas Kauê, que ao nascer parecia tudo normal, mas 15 dias após o nascimento, a criança teve várias complicações e chegou a desfalecer. Foi ai onde inciaram-se as constantes febres que causavam transtornos a vida da criança.

 O problema de Autismo começou a ser detectado pela Agente de Saúde do Residencial Laura Ramos, onde o casal residia. Esta mesma Agente de Saúde levou o Núcleo Ampliado de Saúde da Família e Atenção Básica -NASF que fizeram acompanhamento do problema mas não o identificava como Autismo.

Preocupada com a situação do pequeno Kauê, a mãe Maria de Lourdes começou a pesquisar na internet qual seria o real problema do seu filho, foi quando descobriu um video do Dr. Drauzio Varella, identificando todos os problema da criança como Autismo.

Ao procurar a Secretaria de Assistência Social de Afogados da Ingazeira, teve como apoio o atendimento do Psiquiatra Dr. Ésero Maia.

Três anos depois, em Setembro de 2018, é que a criança foi diagnosticada oficialmente com Autismo. Os pais batalham para conseguir  outros tratamentos. Conseguiram espaço no CAPS Afogados, o Benefício Assistencial ao Idoso e Pessoa com Deficiência-BPC, e através de uma ordem judicial da Promotoria Pública conquistaram uma vaga no IMIP, em Recife.

O beneficio é utilizado para a compra de medicação para a criança que a cada dia que passa, torna-se mais agressiva.

Lucas Kauê também conseguiu vaga na APAE de Serra Talhada, mas devido a falta de transporte público, acabou perdendo a vaga. Diante disto, resolveram seguir para Taquaritinga, onde já conseguiram atendimento na APAE daquela cidade para tratamento da criança, onde ficarão residindo.

Para ajudar ligue para dona Maria de Lourdes no 87 999 26 5499 ou para José Paulo no 999 96 9207.

Anterior Proxima Página inicial