Cabo do Exército é preso suspeito de vender fuzis para traficantes, em Pernambuco

 Um cabo do Exército foi preso por suspeita de desviar armas e munição de grosso calibre do quartel onde trabalha, em Olinda, para vender a traficantes de drogas na madrugada de sexta-feira (18). Segundo a Polícia Civil, foram apreendidos três fuzis calibre 7.62, 101 cartuchos intactos, um revólver calibre 38 e três munições intactas de calibre 50.

As operações ocorreram em Olinda e em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife. Também foram apreendidas 120 gramas de cocaína, 353 gramas de crack, um radiocomunicador e uma balança de precisão.

O cabo do Exército não teve o nome e a idade divulgados. As ações foram realizadas por equipes da Delegacia de Homicídios da Região Metropolitana Norte e da 9ª Delegacia de Homicídios de Olinda, em parceria com a Polícia Militar e com o Exército.
“A gente conversou com o pessoal do Exército e ele já estavam também com inquérito em aberto para investigar esse cabo. Juntamos as informações e deflagramos a operação”, afirmou o delegado João Leonardo.

De acordo com a Polícia Civil, ao ser preso, o cabo indicou pessoas para as quais teria vendido armas e apontou os endereços das residências de eventuais compradores. Na casa dele, os policiais encontraram o revólver calibre 38, que não tem registro, e diversos cartuchos de munição de calibre restrito.
“Conseguimos encontrar o fuzil em uma das casas que ele mesmo indicou. O cabo já estava de posse de armamento restrito na sua casa de forma irregular”, disse o delegado.
Nos imóveis onde foram encontradas as drogas e as armas, não havia nenhum morador. No entanto, eles foram identificados e responderão a inquérito policial.

O militar foi autuado em flagrante pela posse de munição de calibre restrito e posse irregular de arma de fogo. Após audiência de custódia no Fórum de Olinda, ele foi levado para o Sétimo Grupo de Artilharia de Campanha – Regimento Olinda, onde fica à disposição da Justiça Militar.

“Ele está preso no quartel por causa do desvio do armamento e dessas munições e vai responder à Justiça Militar. Na Polícia Civil, ele vai responder pelo flagrante do [revólver] 38 das e das munições de uso restrito”, acrescentou o delegado. (Via: G1 PE)

Anterior Proxima Página inicial