Em Afogados, Funcionário da Secretaria de Obras diz que não há homem no mundo que o faça executar serviço de calçamento no Bairro da Ponte

 Em Afogados da Ingazeira, governada pelo socialista José Patriota, um absurdo aconteceu nesta quinta feira 13, quando o comerciante Ivanildo Cordeiro, conhecido como Hominho, do Mercadinho do Trevo foi desrespeitado por um funcionário do setor de obras da prefeitura ao solicitar o reparo de parte do calçamento da Rua Dom Expedito Lopes, no Bairro Padre Pedro Pereira.

Há um mês atrás, o Blog do Cauê Rodrigues publicou uma matéria reivindicando os reparos do calçamento, mostrando que c
omerciantes e moradores da Rua Dom Expedito Lopes, no Bairro Padre Pedro Pereira, em Afogados da Ingazeira, se mostram descontentes com a situação do calçamento da referida rua, após tentativa de recapeamento do trecho da Rodovia Estadual PE 292, que cruza a cidade até a PE 320 na saída para Carnaíba. “Os paralelepípedos estão soltos e faltando em um enorme trechos, dando margem a acidentes, tanto para pedestres quanto para motociclistas, como já presenciei”, afirmou o comerciante Hominho.

 Já à cerca de 15 dias atrás, o comerciante mencionado entrou em contato com Assis, da Secretaria de Obras reforçando o pedido da matéria. Nesta quinta feira ficou surpreso ao ver um dos funcionários da referida secretaria reformando um trecho de asfalto nas proximidades do Pajeú Autoserviço, quando teve a ideia de cobrar do funcionário o reparo do calçamento em frente ao seu comercio. 

O funcionário acabou surtando e difamando o comerciante que ficou constrangido. Numa carta envida ao Blog ele desabafa;
-"Eu, Hominho, proprietário do Mercadinho do Trevo no Bairro Padre Pedro pereira, em Afogados da Ingazeira afirmo que desde junho deste ano de 2018, que ligo para Assis sobre este problema que está na frente  do meu mercadinho, dizendo ele que iria mandar fazer o serviço. Voltei a ligar para Assis no mês de Outubro deste mesmo ano, ele me falou que mandaria o senhor Paulo Roberto, que é encarregado desta obra executar o pedido.
Paulo Roberto veio fazer um serviço próximo do meu mercadinho, me dirigi ao mesmo e perguntei se ele ia fazer o meu, pois já fazia muito  tempo que tinha pedido este serviço.

 Ele me respondeu o seguinte: "Que não iria fazer! Não tinha homem no mundo que fizesse ele fazer o serviço, nem se fosse o Prefeito da cidade, ele não faria, estava com a Ordem de Serviço desde o dia 28 de Outubro deste ano, mas não faria o trabalho de reconstrução do calçamento, que eu esperasse a volta do serviço do asfaltamento para que a empresa fizesse a reconstrução".

A pergunta é: Quem dá às ordens é o senhor prefeito José Patriota ou seu funcionário, o senhor Paulo Roberto? Indaga Hominho que assina a carta.

Anterior Proxima Página inicial