.

.

.

.

.

.

Caminhoneiros ameaçam realizar nova paralisação nacional em janeiro

 Grupos de caminhoneiros ameaçam realizar uma manifestação em todo o país. O protesto, que deve ocorrer em janeiro, inicialmente estava previsto para o dia 22, mas deve ser antecipado para o dia 10. A mobilização para a nova paralização tem sido feita através de grupos de Whatsapp.

Conforme noticiado pela imprensa nacional, o ato deve ocorrer em reação à decisão tomada na noite de quinta-feira (06), pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux, que resolveu suspender a aplicação de multas, pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), pelo descumprimento dos preços mínimos para serviços de frete rodoviário.

A medida atendeu a pedido formulado pela Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) protocolada no dia 13 de novembro, sendo que, as punições ficam suspensas até que o STF decida sobre a constitucionalidade do tabelamento.

A legislação prevê que os preços serão fixados após uma discussão entre os caminhoneiros, o governo e os usuários dos serviços de transporte. Mas os preços aplicados pela ANTT não foram determinados dessa forma. São ainda de uma tabela feita às pressas em maio passado para acabar com a greve. Pela falta de base legal para as multas, a entidade pediu a suspensão das punições.

Para os caminhoneiros, foi um duro golpe, uma vez que, para eles, a fiscalização pela ANTT era a única forma de assegurar o cumprimento dos pisos mínimos, uma vez que muitas empresas embarcadoras se recusavam a seguir a tabela e até ameaçavam boicotar aqueles caminhoneiros que não aceitassem preços menores.

A decisão de Fux causou revolta entre os motoristas autônomos, dando início à mobilização por um possível protesto em janeiro, porém, ainda não se sabe se a paralisação irá mesmo ocorrer. (*Com informações do Estadão).

Anterior Proxima Página inicial