Ataques de animais peçonhentos crescem em Pernambuco

 Os acidentes com animais peçonhentos, como escorpiões, serpentes e abelhas, têm crescido ano a ano em Pernambuco. Até o mês de setembro, data do último levantamento divulgado pela Secretaria Estadual de Saúde, foram 15.652 registros, número 11% maior do que o mesmo período do ano passado, quando foram contabilizados 14.067 incidentes. Em todo o ano de 2017, as notificações chamam a atenção: quase 20 mil pessoas foram picadas ou mordidas por algum desses bichos. A maioria das picadas se dá por escorpião. A chegada do verão, com clima mais quente e úmido, associado às férias e feriadões pode agravar a ocorrência desses incidentes com o aracnídeo.
Possivelmente, os registros deste ano devem se equiparar aos do ano passado se o ritmo de dois mil casos mensais se mantiver. Na comparação com 2016, os incidentes com peçonhentos do ano passado cresceram 37,3%. Na semana passada uma criança de 3 anos foi picada dentro da escola, no bairro do Jiquiá, Zona Oeste do Recife. No mesmo período, em Jaboatão dos Guararapes, um bebê de oito meses morreu após ser atacado por um animal peçonhentos. Entre 2015 e 2018 já são 59 mortes.
São destaques 25 óbitos por serpentes, 15 por abelhas e 14 por escorpiões nestes quatro últimos anos. Especialistas alertam que a população deve ficar atenta neste fim de ano e começo de 2019. A prevenção aos incidentes com escorpiões exige mais atenção.

Anterior Proxima Página inicial