.

.

.

.

.

.

Pé de guerra: caciques tucanos tramam acerto de contas

 Andrei Meireles – Blog Os Divergentes
Os tucanos mal conseguem esperar o fim das eleições para um acerto de contas que promete espalhar muitas penas. Geraldo Alckmin, cada vez mais isolado no ninho, está, como ele mesmo diz, “pê” da vida com a facada desferida por Tasso Jereissati na bombástica entrevista ao Estadão. No entorno de Jereissati diz-se que foi apenas um troco pelos acordos não cumpridos por Alckmin quando assumiu a presidência do partido.
Aécio Neves, que faz uma campanha pelas frestas em Minas com o objetivo de se eleger deputado federal com uma grande votação, vinha fingindo de morto no embate nacional. Não gosta nem um pouco quando Alckmin procura se livrar dele em entrevistas e debates. Mas o que mais lhe incomodou foi a nova bordoada de Jereissati. Dizem que ele ficou uma arara.
A questão já não é nem mais dar ou votos a Alckmin. Pelo que apoiadores do tucano, alguns que até pareciam bem firmes, têm soprado aqui e ali só um milagre evita uma debandada geral se até o final desta semana um milagre não ressuscitar a candidatura Alckmin.

Anterior Proxima Página inicial