.

.

.

.

.

.

.

.

Cássio Cunha e Aécio Neves foram à Caracas em avião da FAB visitar preso politico

A foto acima é de um grupo de Senadores liderado pelo candidato a presidente de 50 milhões de votos, Aécio Neves. Entre eles, destacam-se o honestíssimo José Agripino, líder do Dem, e o então homem de confiança de Aécio, Cássio Cunha Lima. Ao fundo, um avião da Força Aérea Brasileira (FAB).

Foi nesse avião que Aécio, Cássio e Cia. embarcaram em direção a Caracas, na Venezuela, no dia 18 de junho de 2015, para uma visita de solidariedade ao político venezuelano Leopoldo Lopez, considerado pelo grupo um “preso político”, que, além de não ser brasileiro, não tinha um traço sequer da liderança e da importância histórica de Lula.

A viagem era parte do plano de Aécio Neves e Cássio Cunha Lima, então líder do PSDB no Senado indicado por Aécio, para desestabilizar o governo Dilma Rousseff, criando um atrito institucional com um governo estrangeiro.

Para Cássio vale mesmo o jargão segundo o qual “faça o que eu digo, não faça o que eu faço”.

Portanto, como se vê, não é por acaso que a oposição comandada por ele aqui na Paraíba caminha para a completa desmoralização em razão de posturas como essa. A demagogia é prima em primeiro grau do cinismo. Ao criticar os adversários em razão de práticas que ele próprio reproduz, Cássio e os cassistas remanescentes apenas ajudam a desnudar o santo-do-pau-oco que eles têm como referência de ética.

Engana-se quem acha que os problemas que a oposição enfrenta hoje está apenas nos candidatos. Afinal, estes representam mais que a si próprios, eles representam um passado que a maioria dos paraibanos querem muito finalmente deixar para trás.

Por Flávio Lúvio Vieira
Cientista Político

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial