.

.

.

.

.

.

.

.

Afogados: Serra do Giz, com escritos rupestres pode receber proteção da CPRH

A criação de um "Refúgio de Vida Silvestre" está sendo avaliado pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e da Agência (CPRH). Sítios arqueológicos, que abrigam registros pré-históricos formados por pinturas e grafismos, entre eles a Serra da Queimada Grande, o Riacho do Leitão e o Sítio dos Leitões, serão beneficiados pelo projeto.
De acordo com os Sistemas Nacional e Estadual de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC e SEUC), a ação tem como objetivo "proteger os ambientes naturais onde se assegurem condições para a existência ou reprodução de espécies ou comunidades da flora local e da fauna residente ou migratória". O gato do mato, que está em risco de extinção, é um dos principais alvos de proteção.
Um dos sítios de destaque é o da Serra (ou Serrote) do Giz, com importantes inscrições de arte rupestre, que inspirou o nome da nova unidade proposta pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente. As áreas da Caatinga também participam da área de conservação.
A proposta de criação da unidade de conservação será discutida nesta terça (10) e na quarta-feira (11), no Teatro José Fernandes de Andrade, em Carnaíba, e na Câmara de Vereadores de Afogados da Ingazeira.
Uma área de 301,2 hectares da propriedade Sítio Baixa Verde, numa região conhecida como Serra do Giz, nos limites dos municípios de Carnaíba e Afogados da Ingazeira, de grande riqueza da fauna e da flora do Bioma Caatinga é o centro do debate do encontro.
Na reunião serão ouvidas sugestões dos representantes de órgãos públicos, da sociedade civil e da iniciativa privada, ONGs, pesquisadores, empresários, proprietários, sindicatos rurais, além das comunidades e quilombolas da região.
AOnline

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial