.

.

.

.

.

.

.

.

Condenação de Lula no TRF-4 não seria fim da novela

Blog do Kennedy
Neste mês, haverá um episódio importante da eleição presidencial. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, julgará o recurso do ex-presidente Lula contra a condenação do juiz Sergio Moro no caso do apartamento no Guarujá.
Se absolver Lula, a candidatura do ex-presidente se fortalecerá. Por exemplo: setores da base do governo se sentirão mais livres para aderir ao ex-presidente. Sem essa condenação, ficará difícil que qualquer outra eventual sentença negativa tire o petista do páreo.
Mas a hipótese mais provável é a de condenação. Declarações de integrantes do TRF-4 indicam isso, como já fez o relator do recurso, João Pedro Gebran Neto. Se acontecer, a candidatura se enfraquecerá, mas não significará o fim da novela.
Haverá uma disputa entre aqueles que consideram que a Lei da Ficha Limpa invalidaria de vez a pretensão presidencial de Lula e os que pregam que existe possibilidade de recurso para manter a candidatura. Portanto, a indefinição continuará.
O argumento da segurança jurídica é fraco, porque houve tramitação recorde em relação ao processo de Lula nos casos da Lava Jato no TRF-4. Há outros políticos que disputarão cargos importantes que também são acusados perante a Justiça. O STJ analisa eventual abertura de inquérito contra o governador paulista Geraldo Alckmin _o favorito para ser o candidato tucano em 2018. Existem dezenas de políticos investigados, denunciados e processados no âmbito da Lava Jato.
Lula e o PT já deixaram claro que não desistirão da candidatura em caso de decisão negativa no TRF-4. O ex-presidente teve 34% de intenção de voto no último Datafolha. É legítimo que esse grupo, de mais de 34 milhões de eleitores, queira ver o ex-presidente na cédula eleitoral e questione a consistência da sentença de Moro. Logo, a novela da candidatura continuará em cartaz durante meses.

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial