Prefeito de Sertânia suspende seleção simplificada e culpa oposição por provocar Ministério Público

Por recomendação do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), o prefeito de Sertânia, Ângelo Ferreira, suspendeu a seleção pública simplificada que realizaria este mês para preencher vagas na administração municipal. Segundo Ângelo, os contratos temporários seriam de apenas um ano, tempo suficiente para a prefeitura fazer estudos e projetos de lei na definição e quantidade de cargos de provimentos efetivos, que devem ser preenchidos através de concurso.
Através de nota enviada à imprensa, Ferreira culpa os vereadores da oposição pela suspensão do processo seletivo. “Infelizmente, os vereadores de oposição, os senhores Orestes Neves de Albuquerque (PT), Cícero Edvandro de Melo (PCdoB), Dorgival Rodrigues dos Santos (PSD) e Severino Veras (PTB), sem nenhuma consulta aos inscritos para saber se queriam que fosse cancelada a seleção, entraram com representação junto ao Ministério Público Estadual, questionando o Edital da Seleção Simplificada”, acusou.
Para o prefeito de Sertânia, a ação dos referidos vereadores fez o Ministério Público editar a Recomendação n° 015/2017, indicando que a seleção deveria ser cancelada e estabelecendo prazos e formas de contratações a serem adotadas pelo Município, sem prejuízo da manutenção dos serviços públicos.
“Diante de tal recomendação do MPPE, a Prefeitura de Sertânia, para que não haja mais questionamentos, nem dificuldades para a população assistida pelo poder público, cancela a referida seleção e vai seguir o recomendado constante naquele documento, inclusive, quanto ao concurso público que será realizado em 2018”, informou.

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial