Neto mata avó de 71 anos em Mirandiba, sertão de Pernambuco

No início da noite desta terça-feira dia (21), por volta das 18:30, Policiais Militares do 8°BPM lotados na cidade de Mirandiba, no Sertão pernambucano, tomaram conhecimento através de populares, de um homicídio e uma tentativa de homicídio, fato ocorrido na Rua José Fernandes Bezerra, bairro Vila Nova, naquele município. 

No local do crime, o policiamento se deparou com a cena macabra, aonde a Srª. Maria das Dores Gomes, de 71 anos, agricultora, moradora daquela localidade, foi encontrada caída ao chão já sem vida, com uma perfuração causada por faca peixeira, na altura do peito esquerdo, possivelmente atingida no coração. As informações locais apontavam o menor das iniciais L. E. G. da S., idade não informada, NETO da vítima, como principal suspeito da atrocidade, bem como, de ainda haver lesionado na região abdominal o próprio tio, identificado como Espedito Marcos da Silva, de 41 anos, enquanto assassinava covardemente a avó que lhe adotara como filho. 

De acordo com o Site Giro Sertão, imagens apavorantes, típicas de clássico de terror, foi vivenciada pela população revoltosa com a impetuosidade do infrator descomunal, que fugiu do local do sinistro após a prática da brutalidade indescritível. 

Utilizando de toda estrutura emocional, os militares do 8ºBPM, comandados em terreno pelo próprio Comandante do 8ºBPM,Tenente Coronel PM – JOSÉ ROBERTO, após isolarem o local do crime e acionarem os profissionais do Instituto de criminalista, iniciaram a prioritária busca ao infrator, não oferecendo opções de fuga, e, determinados, localizaram e detiveram o causador de tamanha violência. 

Ao ser apreendido, o “infrator” confessou sua autoria e foi encaminhado para a 196ª DPC de Mirandiba, logo em seguida, foi conduzido e apresentado na Delegacia de Polícia Civil da 193ª Circunscrição em Salgueiro-PE, ficando à disposição daquele órgão, às margens do que preconiza o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente). 

Informações extra-oficiais dão conta de que durante a abrupta execução, haveria a participação de um Co-autor, que presumivelmente teria sido lesionado e estaria hospitalizado, entretanto, o policiamento continua incansávelmente aplicado na execução de uma tarefa tão árdua para a elucidação do crime, bem como, esclarecer as causas e circunstancias que acercam tamanha malignidade.
O Povo com a Notícia

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial