Anti-privilégio: no Nordeste cola

As enquetes de parlamentares do Nordeste mostram que o mote do “combate aos privilégios” começou a colar.
Para o Planalto, a publicidade que teve mais aceitação é a que mostra o narrador dizendo a uma empregada doméstica que, para ela, nada vai mudar.
O governo também vai fazer pressão nos parlamentares da base aliada. O Planalto já reconhece que não conseguirá aprovar o texto na próxima semana. O dia 13 de dezembro é agora a data limite.
Em todas as audiências, o presidente Michel Temer pede apoio à proposta. Nesta quarta (29), reconheceu a um grupo de parlamentares que a estratégia “pode dar certo ou não”. “Mas estou fazendo a minha parte.”
Deputados que resistem ao texto começaram a defender que ele seja reduzido à idade mínima. (Painel - Folha de S.Paulo)

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial