• title
  • Title
  • Title

.

.

Temer e aliados na expectativa de prisão de Joesley

O presidente Michel Temer reuniu ministros e aliados no Palácio do Jaburu neste sábado (9), um dia após o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, pedir a prisão dos delatores da JBS Joesley Batista e Ricardo Saud, e do ex-procurador Marcello Miller.
Participam de almoço com o peemedebista os ministros Moreira Franco (Secretaria-Geral), Torquato Jardim (Justiça), Henrique Meirelles (Fazenda), Helder Barbalho (Integração Nacional).
Também estão presentes os presidentes da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Eunicio Oliveira (PMDB-CE) e o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI).
Os participantes são os mesmos que confraternizaram com Temer na última quinta-feira (7), quando Maia ofereceu um almoço na residência oficial da Câmara após o desfile de 7 de setembro.
O encontro deste sábado ocorre em meio à expectativa de que o ministro Edson Fachin, do STF (Supremo Tribunal Federal), decida sobre um pedido de prisão dos delatores e do ex-procurador.
Na noite de esta sexta-feira (8), Janot pediu o encarceramento dos três depois de ouvi-los entre quinta (7) e sexta (8).
Na última segunda-feira (4), o procurador-geral anunciou a abertura de investigação para apurar possíveis irregularidades nas negociações da colaboração firmada com o Ministério Público.
O centro da crise é uma gravação, datada de 17 de março, em que Joesley e Saud indicam possível atuação de Miller no acordo de delação quando ainda era procurador - ele deixou o cargo oficialmente em 5 de abril. O áudio foi entregue pelos delatores no dia 31 de agosto.
Para a equipe de Janot, houve patente descumprimento de dois pontos de uma cláusula do acordo de delação que tratam de omissão de má-fé, o que justificaria rever os benefícios. (Folha de S. Paulo)

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial