• title
  • Title
  • Title

Artigo: A práxis do papa Francisco e a misericórdia de Deus.

"Deus não cansa de perdoar... Nós é que cansamos de pedir perdão." Papa Francisco.
Muito se fala em misericórdia, no amor ao próximo, na ação missionária, etc. Mas, o que isso realmente significa. Sabemos, que todos aqueles que professam a fé em Jesus Cristo acreditam no amor. Podem não amar, mas conhecem e acreditam no amor. 

É bem verdade que o Papa Francisco, líder da Igreja Católica Apostólica Romana, vem reafirmando o compromisso de lutar por uma Igreja mais fraterna e aberta ao diálogo com os irmãos de outras denominações. Isso tem revolucionado a maneira de pensar e agir de muitos cristãos no mundo inteiro. 

Desde que assumiu o comando da Igreja Católica, Francisco logo no primeiro ato como papa, mostrou ao mundo qual seria a linha do seu papado. Pouco tempo depois, já tínhamos a certeza que ele foi, nos últimos anos, o melhor presente que Deus trouxe para o povo católico. Deixou para trás o conforto e a riqueza, saiu em busca dos oprimidos, reacendeu a chama da Igreja nos EUA, plantando amor e colhendo cristãos para o Cristo Jesus. Mostrou ao mundo, que as religiões podem mudar seus conceitos.

É notório o poder de transformar que as religiões são detentoras. Muitos usam suas atividades para o engrandecimento financeiro, outros tantos para a verdadeira ação missionária de Jesus Cristo. O papa Francisco tem dito, que devemos usar os dons do Espírito Santo que em nós estão, para a prática fraterna do amor. Podemos praticar o amor de Deus nas famílias de nossa comunidade, nos jovens do nosso bairro, nas periferias existenciais, etc. Esse amor se  dar no íntimo e subjetivo de cada um. Quando estamos levando a palavra de Deus aos que não a conhecem; alimentando os que têm fome, vestindo os nus, é a Cristo mesmo que estamos  fazendo. Essa é a linha que o bispo de Roma tem nos orientado.
Ademais, destaque a prática misericordiosa do papa Francisco. Acolhendo os pecadores, sem olhar para a orientação sexual, classe social, ou até  mesmo se é ou não católico. O papa tem acolhido essas pessoas da mesma forma. Esse amor está impregnado no coração do Santo Padre. À Igreja evoluiu muito nos últimos anos, desde São João Paulo ll até os dias de hoje. Esse amor fraterno e acolhedor, deve estar em nós. É preciso saber que o amor de Deus ultrapassa as barreiras que o mundo impõe para nós. Essas, por sua vez, tentam nos afastar do amor misericordioso de Jesus Cristo. Um Deus imenso que, por amor, se deixa alcançar. 

Renan Walisson de Andrade é Acadêmico de Direito na Faculdade de Integração do Sertão-FIS; toda segunda escreve para o blog.

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial