• title
  • Title
  • Title

Custódia: Vereador Joãozito Moura chama atenção ao cumprimento do Regimento Interno da Casa João Miro da Silva

Continua repercutindo em Custódia e nas redes sociais o clima de embate tenso que aconteceu na Câmara de Vereadores nesta terça-feira, 06, quando a vereadora Nita Barreto (PSB) pediu um minuto ao presidente da Casa Neguinho da Maravilha (PSD) para o diretor de iluminação pública Django Alves comunicar ao vereador Joãozito Moura (PTB) e aos moradores da Vila da Cohab que os serviços da diretoria de iluminação pública tinham chegado na Academia das Cidades. Na sua comunicação o  diretor Django Alves passou o recado e  abusou da boa vontade do presidente da Casa Neguinho da Maravilha abusando do alto elogio a si, e ao governo Manuca. E não faltaram alfinetadas, críticas e acusações ao governo Luiz Carlos.

O clima esquentou mais ainda quando o diretor de iluminação pública falou que o vereador Joãozito deveria ter feito as cobranças ao governo passado, quando o mesmo fazia parte do governo.  Desrespeitando com sua fala o vereador Joãozito, já que o vereador é uma autoridade legislativa, onde o mesmo recebeu das mãos do povo custodiense o direito e dever de bem representá-los. Tendo o vereador o direito e dever de fazer as cobranças devidas ao atual governo.

Segundo o vereador Joãozito, o presidente da Casa, Neguinho fugiu do regimento, uma vez que segundo ele, o diretor Django não estava inscrito, o presidente deixou apenas o mesmo passar um pequeno recado através do microfone da vereadora Nita. No máximo o presidente deveria ter deixado apenas uns cinco minutos e o presidente deixou o mesmo a vontade, deveria ter interrompido a fala. O diretor abusou de quase vinte minutos, desrespeitando com sua fala não só o vereador Joãozito, mas também a Casa do Povo Custodiense. 

“Se nós vereadores não fizermos valer o que manda o Regimento Interno da Casa João Miro da Silva, quem é que fará? O que está no regimento tem que ser respeitado. A ordem tem que ser respeitada. O regimento tem que ser respeitado à risca. Democracia não é fazer aquilo que a gente quer, mas fazer aquilo que a gente pode. O que o diretor de iluminação pública Django Alves fez na Casa do Povo Custodiense foi desrespeito, e isso eu não tolero. Se nós não dermos valor à instituição que representamos, ninguém vai dar. Não é porque a Câmara é a Casa do Povo que alguém pode usar e abusar da palavra sem estar devidamente inscrito e autorizado, isso é antirregimental e totalmente descabível”, disse o vereador Joãozito Moura ao Blog Diário Político Custodiense, com o regimento interno em mãos.

O presidente Neguinho da Maravilha disse que o ocorrido na Casa, não irá mais acontecer.
Por Juliano Oliveira para o Blog

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial