• title
  • Title
  • Title

Carnaíba: Neudo da Itã recepciona grupo de Bacamarteiros no Povoado da Itã nas comemorações do tradicional São João

Um grupo de bacamarteiros composto por atiradores de várias cidades do Pajeú com sede na cidade de Afogados da Ingazeira, interior de Pernambuco, foram recepcionados na manhã deste sábado 24, no povoado da Itã, município de Carnaíba, pelo vereador Presidente da Câmara de Carnaíba, Neudo da Itã pelo quinto ano consecutivo.
Bacamarte é uma arma de fogo, de cano curto e largo, também conhecida comogranadeira, reiuna, reuna ou riuna, principalmente, no Nordeste brasileiro. As granadeiras ou bacamartes que serviram na Guerra do Paraguai, em 1865, foram modificadas para que as armas se adaptassem ao uso dos bacamarteiros nas festas do interior de Pernambuco. Desde os fins do século XIX, grupos de bacamarteiros se exibem em Caruaru durante as festas juninas.
De um modo geral, o folguedo se constitui de homens portando bacamarte, que são disparados com cargas de pólvora seca, em homenagem aos santos padroeiros ou em cerimônias cívicas e políticas.

O evento que acontece em comemorações ao tradicional São João, no povoado da Itã, tem o acompanhamento do vereador/Presidente, um dos maiores conservadores da cultura popular nordestina. Do enorme grupo, em média 25 bacamarteiros são do município de Carnaíba, inclusive seis deles são residentes na região da Itã.
-"Os bacamarteiros é uma tradição nordestina que deve ser mantida e deveria por sua vez, ter mais incentivo por parte do município". Frisou Neudo da Itã.

A forma como os bacamarteiros se agrupam é bastante primitiva. Não há formalidades ou regulamentos. Só é necessário possuir um bacamarte, obedecer ao sargento e saber manejar a arma. A arte dos bacamarteiros se completa ao som de uma melodia de xaxado ou roda de coco, que é acelerada nos desfiles ou lenta nas evoluções, na apresentação das armas, na frente das Igrejas e antes do início das salvas. O vestuário compõe-se de roupa de zuarte (algodão azul), lenço no pescoço, chapéu de couro, alpargatas e cartucheiras de flandre. Os bacamarteiros oriundos dos brejos, usam chapéus de abas largas, quebrado na frente. 
Os comandantes exibem estrelas nos ombros e nos chapéus e usam bengalas ou guarda-chuvas como símbolo de comando. Apesar de muitas cidades do Pajeú como Flores, Quixaba, Afogados da Ingazeira e Carnaíba ter grande número de bacamarteiros, o município de Caruaru, no agreste de Pernambuco, é  o maior pólo de bacamarteiros no Estado, existem também grupos em outros municípios pernambucanos como Cabo, Limoeiro e Belo Jardim.
As fotos são de Lucas Galdino para o Blog.

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial