• title
  • Title
  • Title

.

.

Petrolina ou Serra Talhada poderá abrigar presídio federal em Pernambuco, caso unidade venha para o interior

A viabilidade da construção de um presídio federal em Pernambuco pautou, nesta segunda-feira (10), uma reunião entre o secretário de Justiça e Direitos Humanos, Pedro Eurico, e representantes do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), no Recife. Pernambuco foi um dos primeiros estados a se habilitar, junto ao Ministério da Justiça, para receber o estabelecimento prisional, após o anúncio do Plano Nacional de Segurança Pública, feito pelo presidente Michel Temer no último mês de janeiro.
Para o secretário Pedro Eurico, toda iniciativa que fortaleça o combate e a redução dos padrões de violência é importante. “O Governo do Estado quer um presídio federal em Pernambuco. Nós temos um crescimento vertiginoso da criminalidade em todo o país. E em função disso, a nossa decisão é de trazer esse presídio. O novo espaço permitirá a permuta de presos de alta periculosidade entre estados, isolando chefes de núcleos criminosos altamente danosos à sociedade”, explica.
Durante a reunião foram avaliadas as áreas e as formas de implantação da unidade. Em Pernambuco, quatro espaços foram apresentados ao Depen. No interior do estado, Petrolina e Serra Talhada, visto que a prioridade é para os municípios que possuam aeroportos. Já na Região Metropolitana do Recife (RMR), foram apresentadas outras duas cidades: Itaquitinga e Araçoiaba. Ambas contam com a construção – em andamento – de complexos prisionais e possuem áreas extensas e de propriedade do Governo do Estado.
Um presídio federal tem em média 400 vagas, possui celas individuais de isolamento e custam cerca de R$ 40 a R$ 45 milhões. Atualmente, todo o Nordeste conta apenas com um presídio federal, localizado em Mossoró, no Rio Grande do Norte.
“Na reunião ficou decidida a preferência da União pela instalação de um presídio federal em Pernambuco e o desejo do governador Paulo Câmara do estado ser contemplado”, finaliza Eurico. Após o encontro, engenheiros, diretores de presídios federais, membros do serviço de inteligência nacional e representantes do Depen, seguiram para visitar as áreas disponibilizadas pelo Governo do Estado. Os profissionais ficam em Pernambuco até o próximo dia 13, a fim de definir a questão. (fonte/foto:Ascom)

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial