• title
  • Title
  • Title

.

.

Oposição pede cassação do prefeito de Água Branca

Foi realizada nesta terça-feira (07), audiência de instrução na 34ª Zona Eleitoral de Princesa Isabel - PB, sobre suposta captação indevida de recursos eleitorais, promovida pela coligação "O Trabalho Não Pode Parar", formada pelos partidos PSB, PROS, PSDB, PP e DEM, contra o prefeito Evertom Firmino Batista, mais conhecido como Tom, e o seu vice José Beroaldo Gomes de Andrade, ambos do PMDB de Água Branca.
A audiência se refere à Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE), interposta pelo ex-vice-prefeito Júlio Cesar Firmino Alves, representante legal da coligação, e foi marcada para acontecer a partir das 09h50 no Fórum Advogado Antônio Nominando Diniz. 

Tom e Beroaldo estão sendo acusados de que teriam ocultado gastos eleitorais que de forma determinante teria influenciado no pleito e utilizado recursos de origem não identificada cujo montante corresponde a R$ 55.270,00 (cinquenta e cinco mil, duzentos e setenta reais), ou seja, 93,35% dos recursos arrecadados e não registrados na prestação de contas apresentada.
De acordo com o renomado blog, a prestação de contas do prefeito eleito de Água Branca e do vice, registrada no último pleito, aponta gastos eleitorais de apenas R$ 3.936,80 (três mil, novecentos e trinta e seis reais e oitenta centavos) declarados à Justiça Eleitoral.

Ainda de acordo com o site pernambucano, causa estranheza a afirmação de que a chapa vitoriosa em Água Branca realizava os percursos dos seus atos políticos de bicicletas e caronas, além de ter extraído da internet os jingles da campanha e até o guia eleitoral. (Juru em Destaque)

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial

Quem é a Carnaibana de 2017?

Quem é o Carnaibano de 2017?