• title
  • Title
  • Title

.

.

Fernando Bezerra debate com deputados estaduais as principais mudanças na lei de licitações e contratos públicos

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB) debateu com os deputados estaduais de Pernambuco o Projeto de Lei do Senado (PLS) 559/2013, que atualiza a lei de licitações e contratos públicos. A agenda aconteceu nesta segunda-feira à tarde, no plenário da Assembleia Legislativa, por iniciativa do deputado Eduíno Brito (PP). O substitutivo do projeto de lei é de autoria de Fernando Bezerra, que foi o relator da matéria aprovada em dezembro no Senado. Para que se torne lei, porém, o projeto precisa ser aprovado pela Câmara dos Deputados.  

Entre as principais alterações propostas por Fernando Bezerra estão a necessidade de projetos completos para início de obras e a obrigatoriedade da cobrança de seguros, como garantia que as empresas vencedoras entreguem o que se comprometeram a fazer. O senador, que já foi prefeito de Petrolina, secretário estadual de pastas como Agricultura e Desenvolvimento Econômico e ministro da Integração Nacional, destacou que as medidas vão acabar com os especuladores dos certames. “Quem já esteve na gestão pública sabe que há empresas que entram nas disputas sem nenhuma capacidade técnica e que elas, muitas vezes, negociam valores com os concorrentes para mais tarde sair do processo”, detalhou.

Fernando Bezerra acredita que o atual projeto corrige uma defasagem histórica, pois ao longo dos anos o Brasil optou por contratar com base apenas no menor preço cobrado. Esta lógica, no entanto, nem sempre corresponde à melhor solução. ”É preciso que agora tenhamos, ao invés de projetos básicos, projetos completos para iniciar as licitações. Precisamos estabelecer uma cultura de projetos, para que tenhamos obras de melhor qualidade”, definiu.

Quanto aos seguros, o senador explicou que no caso das obras de grande vulto, com orçamentos acima de R$ 100 milhões, o valor estipulado seria de 30% do total do projeto. “Nas demais contratações, a garantia vai até 20% do valor do contrato, ou seja, quadruplicamos o valor atual, que é de 5% do contrato e pouco cobre os custos de uma inadimplência”, ressaltou.
O debate foi bastante prestigiado, reunindo, além de deputados estaduais, vereadores do Recife, representantes da iniciativa privada, ministério público e o defensor público-geral do Estado, Manoel Jerônimo de Melo Neto. “A vinda do senador foi muito importante porque tivemos a oportunidade de conhecer melhor este projeto, que irá promover muitas mudanças na forma de contratar. É uma enorme alegria contar com ele na casa”, afirmou o presidente da Assembleia, Guilherme Uchôa (PDT). 

Comentários

Obrigado!
Sua mensagem será avaliada.

Anterior Proxima Página inicial