.

.

.

.

.

.

.

.

Produção de amendoim na Paraíba espera safra de 698 t, com renda de até R$ 2,7 milhões

Agricultores familiares iniciaram a colheita do amendoim na região de Itabaiana, no Agreste da Paraíba, a 70 km de João Pessoa. A cultura contempla uma área de 582 hectares de plantio, com previsão para esta safra de uma produção de 698 toneladas. O comércio é garantido e o preço do quilo varia de R$ 3 a R$ 4, dependendo da época de venda, podendo gerar uma renda de até R$ 2,7 milhões para a economia local.

A produção no local conta com o acompanhamento dos extensionistas da Gestão Unificada Emepa/Interpa/Emater, vinculada à Secretaria de Estado do Desenvolvimento da Agropecuária e da Pesca. Segundo o coordenador regional da Emater-GU em Itabaiana, Paulo Emílio de Souza, a área cultivada com amendoim na região está assim distribuída: Itabaiana, 210 ha; Mogeiro, 300 ha; Juripiranga, 2 ha; Pedras de Fogo, 5 ha; Pilar, 15 ha; Salgado de São Félix, 25 ha; São José dos Ramos, 15 ha; e São Miguel de Taipu, 10 ha.
O plantio, no geral, se dá no início da estação chuvosa, que na região vem se caracterizando a partir de abril. As sementes plantadas são de duas variedades precoces, a BR 1 e a BRS 151, que foram trabalhadas pela Embrapa e apresentam cor vermelha e um ciclo de produção de 90 dias até a colheita e mais 15 a 30 dias de sol para secagem. A produtividade em regime de sequeiro está na média de 1,2 toneladas por hectare.

A produção de amendoim, principalmente de Itabaiana e na vizinha Mogeiro, abastece o mercado consumidor da Paraíba e parte é vendida in natura na Ceasa de Pernambuco. Atualmente, uma das grandes dificuldades para ampliação da cultura do amendoim está na mão-de-obra que eleva bastante o custo de produção, pois a colheita na Paraíba é totalmente feita de forma manual, sem o uso de implementos.
“Historicamente, a agricultura familiar tem sido a responsável pela maior parte da produção de alimentos básicos, contribuindo com o abastecimento urbano através da diversificação de suas atividades”, comentou o diretor Técnico da Emater-GU, Vlaminck Paiva Saraiva.

O agricultor Luiz Dias de Araújo, da Comunidade Agreste, em Mogeiro, destacou que tem encontrado uma grande demanda do amendoim, cultura que vem trabalhando há bastante tempo e de forma diversificada com o milho e feijão, o que lhe garante uma renda certa, pois o ciclo de produção, por ser precoce em relação às demais culturas, possibilita produzir mesmo em anos com pouca chuva, como vem ocorrendo. 
Portal Correio



Anterior Proxima Página inicial