.

.

.

.

.

.

.

.

Para o Psol, há evidências da aproximação entre PR e SD em Serra Talhada.

Ary Amorim, pré-candidato do PSOL a prefeito de Serra Talhada não titubeou quando perguntado se o modo brando com que o pré-candidato Marquinhos Dantas (SD) tem tratado o Partido da República poderia ser interpretado coma pavimentação de uma provável aliança: “com paralelepípedo e com asfalto”, disse Amorim, bem-humorado. As declarações foram dadas na ultima sexta-feira (01), em entrevista ao CADERNO 1 NO AR, na Rádio Vilabela FM.
Para Ary, as legendas se merecem, pois, na visão do psolista, há afinidades entre ambas. O pré-candidato, no entanto, recorda que Dantas até pouco tempo sustentava que não seria vice de ninguém. Por conta disso, Amorim disse não acreditar que Marquinhos vá “rasgar” o discurso, aceitando sair como vice na chapa republicana, que tem o neto do ex-deputado federal Inocêncio Oliveira, Vitor Oliveira, como o pré-candidato. “A palavra tem força, tem poder, e um homem tem que dizer uma coisa e seguir até o fim”.
Ainda assim, Amorim lembrou que em política existe a “flexibilidade”: “se acha melhor se acomodar lá, ele vai querer justificar que o discurso é mais união. Ele já vem com um discurso que abre caminho para isso”, analisou. “há uma clara evidência que existe uma aproximação”, disse Ary.
Anterior Proxima Página inicial